Transformando uma touring em big trail: holandês desenvolveu moto BMW de 6 cilindros

 Transformando uma touring em big trail: holandês desenvolveu moto BMW de 6 cilindros

No mundo das customizações, tudo é possível, inclusive mudar a classificação de uma moto. Conheça a big trail BMW GS 6 cilindros

Sem dúvidas, os apaixonados por duas rodas se empenham muito em alguns projetos – e a história de hoje é mais um exemplo disso. Quando as fabricantes não atendem seus desejos, ou em casos onde a criatividade e a paixão pela mecânica falam alto, alguns motociclistas passam horas ao lado das ferramentas. 

Há também quem contrate um profissional para fazer customizações no veículo, em vez de colocar a própria mão na massa. Foi o que fez o empresário holandês Willem Heijboer, que contou com a ajuda do especialista Nico Bakker para transformar uma touring K 1600 GT em uma BMW GS com 6 cilindros em linha.

A BMW é dona de um catálogo enorme, repleto de motos admiráveis. No entanto, a empresa alemã ainda não possui nenhum modelo big trail com 6 cilindros – e esse era o sonho do holandês Willem Heijboer. Estamos falando de um empresário e motociclista raiz, que está sempre acompanhado de uma moto – seja a passeio, visitando clientes ou chegando na hora certa em reuniões importantes. 

Os gostos de Willem ultrapassaram a disponibilidade da sua montadora favorita, a BMW, e ele ficou com algo na cabeça: conseguir uma BMW GS 6 cilindros. Para conseguir montar esse veículo, o profissional Nico Bakker, que conta com 44 anos de experiência em estratégia de modificação de motos, foi recrutado. Os serviços de Nico são solicitados para motocicletas de corrida ou por clientes excêntricos, como foi o caso. 

O resultado do projeto foi positivo: eles alcançaram o objetivo. O produto final é, com certeza, uma motocicleta de chamar atenção. O proprietário, Willem, apelidou a moto de GS Mamute. Mas montá-la não foi um processo fácil. Continue a leitura para entender todos os componentes modificados.

As modificações

A transformação da K 1600 de GT para GS foi um caminho de muito esforço. Veja, listadas, as modificações da touring para se tornar uma big trail: 

  • motor de 102,6 kg;
  • tanque de combustível de 39 litros (substituindo o original, que comportava 24 litros);
  • rodas feitas sob medida, as quais receberam pneus Pirelli Scorpion Trail II;
  • tubos de aço cromo-molibdênio para o chassi;
  • sistema de escapamento com aço inoxidável exclusivo;
  • bauletos rígidos de 1200 GS;
  • sistema de refrigeração de uma Aprilia RSV 1000, evitando que o motor esquente;
  • suspensão semi-ativa ESA de série BMW em um amortecedor WP
  • eixo se alongou em 17 milímetros, totalizando 1635 milímetros

Em síntese, com todas essas alterações, a GS Mamute pesa um total de 310 kg, com o tanque cheio. Em relação à BMW K 1600 GT original, o modelo personalizado pesa nove quilos a menos – o que é positivo aos olhos do cliente. 

Agora, se você ficou curioso em relação ao preço, saiba que não foi nada barato. Segundo Nico Bakker, o projeto da K 1600 GS, ou “Mamute”, saiu por 50 mil euros – na conversão atual, mais de 300 mil reais.

A partir do cenário positivo, os holandeses que lideraram essa customização afirmam que a BMW está perdendo uma oportunidade, e deveria abrir os olhos e considerar produzir uma big trail de 6 cilindros. E você, o que achou dessa personalização?

Compartilhe