Supersport: Regulamento é alterado para que mais motos possam competir

 Supersport: Regulamento é alterado para que mais motos possam competir

Yamaha, Kawasaki e MV Agusta vinham competindo pelo título mundial; Com as novas regras, Ducati 955 V2 e Triumph Street Triple 765 RS entram no páreo

O primeiro esboço com as novas regras do Campeonato do Mundo de Supersport de 2022 está pronto. Uma regulamentação atualizada pela FIM foi necessária para que a MV Agusta F3 800, a Triumph Street Triple 765 RS e a Ducati 955 V2 possam participar do torneio.

A FIM, que é a autoridade máxima do desporto motorizado, apresentou um regulamento mais dinâmico com intuito de transformar o Mundial de Supersport em uma competição mais acessível para diversas marcas.

Isso porque, com a saída da Honda na temporada de 2020, a Yamaha assumiu ainda mais a vantagem e já monopolizava o troféu há quatro anos, mantendo-se invicta desde 2017. Mesmo competindo contra Kawasaki e MV Agusta.

partir das próximas competições, as motos mais robustas como a Ducati 955 V2 poderá disputar com as Triumph Street Triple 765 RS e MV Agusta F3 800 de três cilindros, além de motos clássicas superdesportivas de quatro cilindros de 600 cc.

Dessa forma, a FIM trará uma abordagem dividida a partir da temporada de 2022. As regras seguirão praticamente as mesmas para a disputa entre as motocicletas anteriores. Com relação às motos de maior cilindrada, a regulamentação será reescrita. 

A atual categoria intitulada “Supersport Next Generation” foi chamada de ‘temporária’ pela FIM. Isto é, em 2023 todas as novas regras entrarão em vigor para todos da competição. 

O esboço revelou algumas das atualizações: 

  • Caso a motocicleta seja superior a 600 cc, o peso total será irrelevante. Contudo para a série tradicional e cilindradas inferiores existe o novo peso mínimo de 242 kg para moto e piloto, com o peso da moto marcando entre 161 e 173 kg.
  • Os conceitos distintos de motor interferem no número autorizado de motores: o motor de 800 cc só precisa ‘sobreviver’ a 3,5 fins de semana, até 799 cc deve completar ao menos 3 corridas e de 500 cc apenas 2,5 corridas.
  • Ainda serão necessárias várias semanas até que haja uma precisão com relação à velocidade fixa, no entanto, diversos testes  de banco de ensaio estão sendo realizados.
  • Parecido com o Campeonato do Mundo de Superbike, o equilíbrio das motos ao longo de toda a temporada é aferido por meio do estabelecimento de um algoritmo. 
  • Alguns padrões e a rotação do motor, podem ser adequados a cada três finais de semana de corrida completos. Este método também inclui: valores de velocidade máxima, o tempo de volta em comparação com todos os concorrentes, resultados da corrida, número de motos idênticas, voltas anteriores, potencial do piloto, efeito dos ajustes anteriores e a duração da corrida. O algoritmo é profundo e outras condições podem ser adicionadas a qualquer momento.

Compartilhe