Sua moto sumiu? Saiba o que fazer em caso de roubo ou furto

 Sua moto sumiu? Saiba o que fazer em caso de roubo ou furto

Número de motocicletas furtadas passou dos 30 mil no ano de 2021

Quem nunca sentiu aquele frio na barriga quando se aproximou do local que tinha estacionado e não viu de primeira ou demorou pra encontrar seu automóvel?

Pois é, mas este medo tem um motivo, principalmente para quem é dono de moto. Em 2021 foram registradas cerca de 33.400 ocorrências envolvendo motocicletas somente no Estado de São Paulo. Nos primeiros sete meses do ano passado, por exemplo, foram mais de 17 mil casos somados, de acordo com dados divulgados pela Secretaria de Segurança Pública.

Após serem subtraídas de seus donos, grande parte das motocicletas são desmontadas e têm suas peças vendidas de forma ilegal e mais barata, visto que o mercado de peças automotivas no Brasil possui preços que variam muito de acordo com o modelo em questão. Por causa disso, muitos proprietários nunca mais conseguem recuperar seus bens roubados.

Os modelos mais roubados

Em São Paulo, as motos mais roubadas se distribuem de acordo com as marcas mais populares. No ano passado, a Honda liderou a lista com os seguintes modelos:

1 – CG 160 (6.705); 

2 – CG 150 (3.833);

3 – CG 125 (3.011);

4 – CBX 250 Twister (1.626);

5 – PCX 150 (1.553) como as mais furtadas, totalizando 16.728 unidades.

Completando o top 3 de motos mais furtadas, temos a Yamaha e a Triumph,  respectivamente. Mesmo que as motos de baixa cilindrada estejam em foco, os donos de motocicletas médias e altas também têm que manter a atenção, já que assumem 30% dos chamados de ocorrências em todo o Estado.

Fui furtado! E agora?

Tanto em situações de ter sua moto furtada em algum estacionamento, quanto sofrer um roubo à mão armada, o proprietário tem que tentar manter a calma e proceder da maneira correta para não ter maiores dores de cabeça.

A primeira ação a ser tomada é realizar um boletim de ocorrência junto à Polícia Militar, podendo ser feito o contato pelo número 190 ou via site, para que a Delegacia de Furtos e Roubos de Veículos possa colher todas as informações fundamentais para dar seguimento ao B.O.

Dados como a placa e chassi da motocicleta são colhidos e então passados para a Polícia Rodoviária Federal que também participará dos processos de investigação. Caso ela seja encontrada, a própria PM será encarregada pela recuperação e entrega do veículo.

Para retirá-la, o proprietário precisará apresentar as cópias dos seus documentos pessoais, os documentos da motocicleta e também do boletim de ocorrência. 

A delegacia irá gerar três documentos: auto de entrega do veículo ao proprietário, registro de recuperação e um memorando de encaminhamento à perícia criminal caso necessário.

Além disso, também é de extrema importância contatar a seguradora, caso a vítima tenha sua moto coberta por seguro. Além de solicitar os documentos e informações necessárias da motocicleta e do B.O., eles passarão o procedimento correto a ser seguido.

Em caso de danos, a seguradora pode cobrir os eventuais gastos, dependendo também do tipo de cobertura contratada. 

Por fim, o piloto deve ficar atento às cláusulas do contrato, pois se os serviços de cobertura para roubo, furto e acidentes não estiverem contratados, o caso não será considerado um sinistro, sendo o prejuízo totalmente do proprietário.

Compartilhe