READING

São Paulo registra queda no número de acidentes de...

São Paulo registra queda no número de acidentes de trânsito.

Faz parte cair pelo menos uma vez quando se anda de moto há muito tempo, mas uma coisa é certa: ninguém quer a última nem a primeira vez. Mesmo motociclistas experientes e cautelosos estão sujeitos a uma queda porque algumas vezes não está ao alcance dele evitá-la, entretanto, muitas vezes a diferença entre seguir viagem, tomar um susto e o chão está na ponta dos dedos.

Quando se trata de acidentes, há dados de sinistralidade rodoviária de Portugal que constatam queda no número de acidentes e comparam o primeiro semestre de 2019 com o mesmo período de 2020. Em 2019, no país lusitano houveram 17.409 acidentes com vítimas, 260 com vítimas fatais, 1161 feridos graves e 20.956 feridos leves. No primeiro semestre de 2020 houve uma queda de 30,8% nos acidentes com vítimas, 32,3% nas vítimas fatais, 25,9% nos feridos graves e 33,4% nos feridos leves, os números ficam em 12.049, 176, 860 e 13.956 respectivamente.

Em Portugal a diminuição no número de acidentes soma 12.751, menos 5.360 no número de acidentes com vítimas, 84 na quantidade de vítimas fatais, 301 no total de feridos graves e 7.006 na soma de feridos leves. O relatório de sinistralidade rodoviária feita pela Autoridade Nacional de Segurança Rodoviária (ANSR) revela também os climas mais críticos. A maioria dos acidentes ocorre com o tempo bom, a soma chega a 13.974 em 2019 contra 9.606, em 2020. O tempo que mais ocorre acidentes fora o tempo normal é o chuvoso, 2.533 ocorrências em 2019 e 1.749 em 2020. Com registro de diminuição de 31,2% para o tempo bom e 31,0% para o tempo chuvoso.

Fora esses dois tipos de tempo foi observado diminuição de incidentes com a ocorrência de vento, neve e granizo, mas aumento durante nevoeiros. A incidência de vento causou 13 acidentes em 2019, enquanto a neve 7 e 25 a chuva de granizo. Para os 3 houve queda, de 13 para 11 em dias de vento, de 7 para 1 em neve e de 25 para 2 com granizo. Em 2019, durante nevoeiros houve 89 acidentes contra 107 em 2020, com aumento de 20,2%.

O relatório também pontua a natureza dos acidentes e os dias da semana em que mais ocorrem. Tanto em 2019 quanto em 2020 os dias que mais e menos acontecem acidentes são os mesmos: sexta-feira e domingo. Em 2019 foram registrados 2.626 incidentes na sexta e 1.997 no domingo, enquanto em 2020 houveram 1.857 e 1.532 respectivamente nos mesmos dias. São 3 os  tipos de acidentes constatados, que somam 16.668 em 2019 e 11.501 em 2020, são eles em ordem decrescente de incidência: atropelamento, colisão e saída da pista.

Os relatórios feitos no Brasil pelo DETRAN não são tão amplos nem têm tanto detalhamento quanto os feitos pela ANSR, a falta de um estudo feito em âmbito nacional dificulta o levantamento de informações, que são disponibilizadas por estado e que não especificam qual tipo de veículo está envolvido no incidente. No entanto, em balanço feito pela Secretaria da Saúde em 2019 constatou-se que 80% das internações decorrentes de acidentes de trânsito são geradas por motos.

São Paulo até o momento também registra queda. No ano de 2019, ocorreram 74.114 acidentes não fatais entre janeiro e maio, ao passo que no mesmo período de 2020 houveram 61.872. Os acidentes aconteceram em sua maioria nas vias municipais, que chegam a 202.833 contra 37.318 em rodovias, além de 3.475 para não divulgado (esses valores levam em consideração os números de todos os meses de 2019 até o mês de maio de 2020). Os tipos de acidentes registrados pelo DETRAN/SP são: colisão, atropelamento, choque e outros tipos de acidente. São 83.062 registros por colisão, 15.009 por atropelamento, 14.982 por choque e 29.279 para outros.

Há muitos motivos que podem levar o motociclista a cair, geralmente esses motivos estão ligados a imprudência ou inexperiência: excesso de velocidade; desrespeito ao sinal vermelho; falta de sinalização nas manobras; ultrapassagens irregulares; condução sob efeito de substâncias; falta de atenção nas curvas; frenagens incorretas e manutenção inadequada do veículo.

Há ainda os acidentes que não são culpa do motociclista como carros entrando na via, que estão saindo de um posto de gasolina ou garagem; carros que atravessam na frente da moto em um cruzamento com a intenção de virar à esquerda; carros andando na contramão; carros que mudam de direção bruscamente; entre alguns outros motivos. Há tantas causas de acidentes que partem tanto do condutor quanto daquilo que o rodeia, que é válido dizer que há formas de evitar essas quedas ou acidentes de forma simples seguindo dicas da direção defensiva.

Saiba usar os freios. Parece bobo, mas muitos motociclistas – principalmente os iniciantes – não sabem que os freios dianteiros são responsáveis por 70% da capacidade de frenagem da moto, o correto é usar os dois em conjunto, não apenas o traseiro. Combinando os freios dianteiro e traseiro é possível frear até a parada total na metade do espaço em que levaria para frear só com os freios traseiros.

Evite o ponto cego. Essa dica é fundamental porque veículos como carro, caminhão e ônibus tem a lataria que impede o motorista de enxergar os arredores dele com perfeição. Nesse caso o ideal é evitar circular pelos corredores ou se posicionar nessas áreas em que o ele não consegue vê-lo. Uma dica valiosa é reparar se é possível ver o rosto do condutor, seja pelo retrovisor dele ou diretamente, lembre-se: se você não consegue vê-lo, ele também não consegue ver você.

Cuidado com asfalto escorregadio. Em piso escorregadio comumente ocorre a derrapagem e nesses casos a queda é quase certa, sendo assim preste atenção se o solo está com areia, terra, se está com óleo ou se está molhada de um dia de chuva. Se for o caso evite freadas bruscas ou curvas em alta velocidade.

Cuidado com veículos grandes. Motos de todas as cilindradas circulam lado a lado com caminhões, carros, ônibus e carretas em estradas e vias expressas Brasil afora. Esses veículos, quando em alta velocidade, causam deslocamento de ar que pode desequilibrar motociclistas e até mesmo arremessar motos pequenas a alguns metros na direção da contramão ou acostamento. Mantenha a distância segura de veículos em alta velocidade e redobre a atenção.

Pilotar moto é uma arte, mas cair não precisa fazer parte. É possível evitar colisões, acidentes e quedas pilotando de forma responsável e prudente. Procure manter a revisão e a manutenção da sua moto em dia para evitar imprevistos e não tornar a situação mais difícil do que já seria normalmente. Respeitar as leis de trânsito é fundamental para evitar situações indesejadas.


INSTAGRAM
SAIBA MAIS SOBRE