Rocam: policiamento sobre duas rodas

Para se tornar policial da Rocam, é preciso ser bom condutor, passar nas provas e se mostrar capaz durante os cinco meses de estágio

A polícia militar de São Paulo conta com 150 batalhões e 81.728 policiais, mas deste número, apenas uma pequena parcela se torna Rocam e menos ainda são da Rocam do 2º Batalhão de Choque, que é o original depois de ter sido transferido do 1º Batalhão de Choque. Os pilotos deste destacamento são conhecidos por serem qualificados e responderem rapidamente às situações. Muitas pessoas têm curiosidade sobre como é feita a capacitação e formação deles.

Para se tornar um policial da Rocam, é necessário a experiência prévia como policial em patrulhamentos – na área operacional – por pelo menos dois anos, ter habilidade na condução de motocicletas, o que implica em ter a habilitação do tipo A, e uma autorização emitida pela própria polícia militar que é adquirida através de um teste específico.

Se o voluntário que deseja se tornar Rocam atende a todos os requisitos e há vaga disponível para ser pleiteada, o policial começa o seu estágio, que tem a duração mínima de três meses. Os fatores determinantes da duração do estágio não orbitam somente no campo de domínio da motocicleta, mas também abrangem o conhecimento de legislação, do Código de Trânsito Brasileiro e o conhecimento sobre patrulhamento.

Durante o tempo de estágio, também são realizadas diversas avaliações com o estagiário que envolvem a condução de motocicleta. O estagiário será instruído e receberá diversas aulas sobre o assunto para, no final do estágio, participar de um teste – mais complexo do que aquele feito para tirar habilitação ou aquele para a autorização de conduzir motocicletas da polícia militar.

Fora o estágio, o 2º Batalhão de Choque também disponibiliza cursos. O primeiro é de radio patrulhamento padrão, que tem duração de uma semana, e o segundo é o curso de Rocam, que tem duração de quatro semanas e abrange condução off-road e on-road, entre outras coisas pertinentes ao exercício do policiamento.

O treinamento recorrente da Rocam é para preservar a vida do policial e dos outros. Pelo fato de a moto ser mais ágil, é comum que o policial que dirija uma chegue antes nas cenas do crime, então ele precisa estar preparado para encontrar qualquer coisa e tem que saber quando é hora de acelerar.

Em situações nas quais o infrator da lei está fugindo, muitas vezes, o policial do patrulhamento com motocicletas opta por diminuir a velocidade e atualizar seus companheiros pelo rádio para fazer o cerco ao invés de manter a velocidade e correr o risco de se acidentar ou causar danos a terceiros.


RELATED POST

INSTAGRAM
SAIBA MAIS SOBRE