Público PCD pode dirigir motos, mas com regras

 Público PCD pode dirigir motos, mas com regras

Antes de pilotar uma moto, o público PCD precisa passar por uma avaliação física, psicológica e teste em veículo adaptado

Pilotar uma moto é um direito e, certamente, não é um impeditivo para pessoas que apresentam algum tipo de deficiência. No entanto, para obter a Carteira Nacional de Habilitação (CNH) é preciso passar por exames médicos, psicológicos e práticos de direção. O público PCD estará apto a receber sua CNH especial e as adaptações necessárias ao veículo se passar em todos os testes. 

Existem várias patologias que podem ser caracterizadas como deficiência e, somente no Brasil, existem mais de 46 milhões de pessoas que se enquadram nessa classificação, o equivalente a 24% da população, segundo dados do Censo de 2010 do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). 

Inclui desde pessoas que tiveram membros amputados, usam órteses ou próteses, têm paralisia ou ainda condições menos aparentes como alguns tipos de câncer, cardiopatias e LER (Lesão por Esforço Repetitivo).

Além dos exames habituais aos quais todos os candidatos são submetidos, há ainda mais uma avaliação médica.  Para que a pessoa com deficiência seja aprovada em todas as fases e consiga a sua CNH Especial, existe um campo de observações onde o médico possa indicar as restrições do motorista em questão e as adaptações necessárias no veículo escolhido. 

A avaliação prevê prova prática em veículo adaptado para a categoria pretendida. No caso das motocicletas, a adaptação mais comum é no sistema de embreagem, que pode ser automática ou semiautomática.

No caso do exame psicológico – realizado nas clínicas credenciadas aos Departamentos Estaduais de Trânsito –, o objetivo é verificar o comportamento do motorista no trânsito e como ele reage em situações adversas. 

A avaliação é a mesma para todos os candidatos, independentemente de deficiência ou da categoria de habilitação pretendida. A única exceção é feita para candidatos surdos-mudos que são acompanhados por intérpretes de libras. Fora isso, a avaliação é a mesma para todos.

Nesse processo, o papel do psicólogo é identificar se o candidato está apto para lidar com as situações cotidianas do trânsito, grau de atenção, tranquilidade e agressividade. No entanto, quando há algum indício de alteração neurológica, o candidato é encaminhado para nova avaliação médica.

Por fim, a procura para tirar a CNH categoria B por parte do público PCD não é elevada. Uma das possibilidades da baixa procura é a desinformação. Porém, PCD pode sim pilotar motocicletas, a única diferença é a fase a mais que precisa ser submetido.

Compartilhe