Produção anual de motocicletas pode chegar a 1,29 mi neste ano

 Produção anual de motocicletas pode chegar a 1,29 mi neste ano

Número pode superar cenário do mercado antes da pandemia

Mesmo com os preços em alta, a indústria de motocicletas não para. O mercado das duas rodas apresentou um crescimento constante desde o ano de 2020 e o ritmo é que cresça ainda mais.

De acordo com a Fenabrave, o ano de 2020 foi concluído com um total de 915.473 unidades de motocicletas vendidas. Já em 2021, esse número cresceu 26,42% e totalizou 1.157.369 de motos emplacadas.

Um dos motivos para essa alta no segmento das duas rodas foi a pandemia, que fez com que a necessidade de serviços de delivery surgissem em todos os tipos de comércio.

No ano passado, a alta do preço do combustível e dos veículos fez com que o setor automotivo registrasse uma grande queda. Porém, isso não afetou o mercado das motos, que continuou crescendo, já que são uma opção mais barata e econômica se comparadas aos carros, por exemplo.

Seguindo esse ritmo, a Abraciclo confirmou que o mercado para 2022 estaria aquecido e facilmente poderia bater o número de 2021. A previsão é de que a produção de motocicletas chegue a atingir 1,29 milhão de unidades produzidas em 2022, número 7,9% maior que o ano anterior.

Além disso, as vendas também devem registrar um aumento de 6,4% em relação ao ano anterior, chegando a 1,23 milhão de motocicletas vendidas.

As exportações também devem crescer, mas não tanto quanto a produção: a alta estimada é de 1%, totalizando 54 mil unidades contra as 53.476 motos exportadas do ano anterior.

As projeções da associação preveem um cenário mais estável, em relação aos anos anteriores, por conta da diminuição da pandemia e retomada do mercado. A expectativa é atingir ou superar o mesmo ritmo do ano de 2015, quando a produção de motocicletas registrou o número de 1,2 milhão.

Alguns fatores são cruciais para a continuidade do crescimento do segmento, como o avanço dos serviços de entrega de produtos e a facilidade que a motocicleta traz no meio urbano, sem esquecer do preço do combustível que está sem previsão de baixas.

A produção até agora

No primeiro trimestre de 2022, o número de emplacamentos de motocicletas já atingiu 274.673 unidades. Comparado aos 205.444 do mesmo trimestre do ano passado, este número já sofreu um crescimento de 33,7%.

O mesmo não pode ser dito das exportações, já que estas sofreram uma queda em comparação com o ano de 2021: neste ano foram exportadas apenas 10.587 motocicletas contra as 13.165 do ano passado, ou seja, um número 19,6% menor quando comparado ao trimestre anterior.

As motos urbanas e scooters ganharam destaque como as mais vendidas do segmento. As urbanas de até 250 cc representaram 40,19% das mais vendidas do  primeiro trimestre de 2022, lideradas pela Honda CG 150, com 56.013 unidades.

Em seguida no ranking, temos:

  • Honda Biz, com 27.308 unidades emplacadas;
  • Honda NXR 160 Bros, com 20.665 unidades emplacadas;
  • Honda Pop 110i, com 16.876 unidades emplacadas;
  • Yamaha Fazer 250, com 6.691 unidades emplacadas;
  • Honda CB 250F Twister, com 5.938 unidades emplacadas;
  • Yamaha XTZ 150 Crosser, com 5.819 unidades emplacadas;
  • Yamaha YBR 150 Factor, com 5.516 unidades emplacadas;
  • Honda PCX, com 5.511 unidades emplacadas;
  • Yamaha NMax, com 5.501 unidades emplacadas.


Compartilhe