O surgimento do colete como ícone do motociclismo

 O surgimento do colete como ícone do motociclismo

Confira a história dos coletes dos moto clubes no motociclismo

É de conhecimento geral que os itens de segurança são essenciais ao andar de moto, além de ser lei. Contudo, as vestimentas também conferem estilo e personalidade aos motociclistas e uma peça que traz essa característica é o colete.  O colete é mais que uma peça de roupa, é um símbolo importante na cultura e história do motociclismo.

Em 1924, a Associação Americana dos Motociclistas (AMA), começou a divulgar as linhas de motocicletas que estavam sendo criadas. Nesse início, os condutores faziam uso de roupas que se destacavam entre as demais, como suéteres pesados ou macacões para proteção. A AMA começou a promover eventos e até premiar quem estivesse com a melhor vestimenta. Dessa forma, os grupos de motociclistas começaram a criar artes nas costas para se diferenciarem uns dos outros.

No entanto, durante o período da Segunda Guerra Mundial, as jaquetas começaram a se popularizar. Os soldados sentiam a necessidade de propagar seu senso de personalidade, dessa forma, começaram a pintar seus casacos com frases e símbolos da cultura daquele momento. Essa prática foi transmitida aos coletes no futuro.

Os soldados eram muito unidos por conta das situações que passaram na Guerra. Nesse viés, os moto clubes foram o caminho de vários deles em forma de distração ou sentimento de companheirismo parecido com o que haviam vivido.

Em 1947, a AMA realizou seu evento anual, o primeiro depois da Guerra. Cerca de 4.000 pessoas compareceram e foi uma grande bagunça, esse episódio originou o filme “O Selvagem”. Além disso, virou matéria na Revista Life, que fez a distinção dos “1%” e “99%”, sendo que os primeiros representavam os moto clubes encrenqueiros e os segundos os grupos familiares. A AMA, a partir disso, só permitia a entrada dos 99% em seus eventos.

Com o passar do tempo, a motocicleta foi aperfeiçoada e o condutor precisava de roupas de proteção mais elaboradas. As jaquetas usadas na Segunda Guerra começaram a se tornar uma opção para os motociclistas e nos anos 50 as jaquetas de couro conquistaram seu espaço enquanto alma do estilo dos motociclistas, até filmes representavam os integrantes dos moto clubes com essas características. No entanto, essa peça não concedia conforto ao motociclista quando se movimentava, de certa maneira, elas limitavam a mobilidade. 

Por intermédio da criação dos moto clubes, os motociclistas resolveram cortar as mangas das jaquetas. Como isso aconteceu? Junto ao aumento desses clubes, houveram vários eventos difundidos pela mídia que alienaram parte dessa comunidade, o que não agradou o restante. Em nome de seus pensamentos políticos, culturais e de conforto, os motociclistas rasgaram as mangas.

Os cortes das jaquetas jeans começaram primeiro, já que eram mais baratas, mas ao final dos anos 70, o colete de couro se tornou o ícone do motociclismo e já era produzido diretamente como colete.

Existem alguns tipos de coletes disponíveis atualmente. Os coletes jeans são leves e maleáveis. Há também os coletes de retalhos de couro, muito usados pelos integrantes de moto clubes. Essa opção confere a proteção do couro e é mais barato. Os coletes de couro, assim como os jeans, podem ter fechamentos de zíper, botão de pressão, mosquetão e ganchos.  

Os itens comuns são os coletes de peça única com gola de padre e os produzidos com lapela. Além desses, couro cru, lona de caminhão e misto são modelos conhecidos também.

Compartilhe