Motos no futuro: as tendências de tecnologia que devemos ver nos próximos anos

 Motos no futuro: as tendências de tecnologia que devemos ver nos próximos anos

Em um mundo cada vez mais tecnológico e otimizado, os mundos automotivo e das duas rodas também se encontram em constante evolução

O investimento em tecnologia busca tornar as motos mais práticas e econômicas, além de aperfeiçoar a segurança da pilotagem. Hoje, as motos contam com a tecnologia de conectividade ao ter smartphones integrados aos seus sistemas. 

Eles ajudam a localizar geograficamente o motorista em tempo real em casos de acidente e, além disso, podem fornecer informações como assistência mecânica, postos de combustível, assistência médica e atender a muitas outras necessidades.

Porém, esta tecnologia também visa a segurança do piloto: os gadgets e a tela, principalmente, só funcionam com a motocicleta parada. Se em movimento, a função touch screen é bloqueada, assim como nas motocicletas da Honda.

Desse modo, a atenção do piloto não é desviada e ele estará pilotando de forma segura nas ruas, avenidas e rodovias. Este é um dos principais motivos para as montadoras estarem investindo cada vez mais nessas tecnologias.

As tendências para os próximos anos

As marcas, principalmente no exterior, costumam investir em busca de resultados que se aproximem às ‘cidades do futuro’. Assim, alguns projetos são desenvolvidos e testados em prol da segurança. Como exemplos, os projetos Safe Swarm e Smartphone as A Brain, ambos da Honda.

Também conhecidos como Enxame Seguro e Celular como um Cérebro, ambos são desenvolvidos para realizar conexões entre veículos e também à uma infraestrutura, tudo em tempo real.

Os sistemas introduzem massivamente tecnologias de assistência ao condutor e sua rede integrada coleta dados, visando maior segurança e progresso na mobilidade.

Essa coleta de dados pode, por exemplo, indicar que um carro ou moto está vindo em direção ao piloto em um cruzamento próximo sem que ele tenha visto. Assim, a própria moto pode alertar o piloto para dobrar sua atenção e tomar as medidas necessárias.

Foco na sustentabilidade

Além de aprimorar a pilotagem, empresas estão sempre buscando alternativas mais sustentáveis para o mundo das duas rodas.

Na Europa, por exemplo, a legislação decidiu que motocicletas 100% movidas a combustível não sejam mais produzidas a partir de 2030. Assim, as híbridas e elétricas ganham maior visibilidade no mercado.

A Yamaha, por exemplo, já está patenteando modelos de motocicletas híbridas, que utilizam da combustão para melhorar a performance das baterias.

Outra que também entra na lista é a Kawasaki, que já iniciou a produção de uma nova linha de motos movidas a combustível alternativo, com planos para lançar diversos modelos híbridos e elétricos nos próximos anos.

Além disso, com o alto preço das gasolinas, as motos elétricas mais acessíveis estão se tornando uma alternativa para quem tem condição de comprá-las, assim como fazem alguns motoristas de aplicativo.

O iFood, por exemplo, fez uma parceria com a Voltz Motors e lançou a EVS Work, uma opção mais simples e com menos potência que a original EVS.

A colaboração consiste em vendê-las prioritariamente para os motoristas parceiros. Entretanto, o preço pode ser um pouco salgado, tratando-se das condições atuais, podendo chegar aos R$ 10.000. Porém, é metade do valor do modelo tradicional.

Compartilhe