READING

Guia completo sobre o nascimento do motociclismo

Guia completo sobre o nascimento do motociclismo

Entenda como a moto ganhou força e o coração de muitos ao redor do mundo

O amor pelas motocicletas veio, inicialmente, a partir de outras duas rodas, das bicicletas. De fato, hoje esses são nichos totalmente separados, mas foi por meio das bikes que surgiram as primeiras máquinas motorizadas. 

Com o tempo, essas invenções tomaram espaço, primeiramente em competições, e se desenvolveram, ao passo em que hoje são veículos extremamente tecnológicos, estáveis e velozes. 

Continue a leitura para saber como as primeiras motos surgiram.

História 

As primeiras motocicletas são datadas no final do século XIX, sendo as primeiras, basicamente, motocicletas motorizadas. Historiadores atribuem a criação da primeira moto a Sylvester Roper, que, em 1867, criou uma espécie de motocicleta movida a vapor.

Mais tarde, em 1885, o alemão Gottlieb Daimler – fundador da Mercedes junto com Karl Benz – criou a primeira motocicleta movida por motor a gasolina. O corpo da máquina era quase todo de madeira e ela continha duas rodinhas para auxiliar no equilíbrio.  

Mas, de maneira geral, a moto existiu apenas como protótipo até 1894, ano no qual a fábrica de motores Hildebrand e Wolfmüller patenteou um modelo para comercialização em Munique, Alemanha. Foi o ponto de partida para uma alavancada nas vendas e desenvolvimento, que continua em constante ritmo de inovação. 

Algo que você já pode ter visto em fotografias de motos antigas, é o chamado “sidecar”, um carrinho com uma roda, preso a um dos lados da motocicleta. Ele surgiu em 1910 e podia carregar um passageiro. Acaba sumindo de circulação com a chegada dos veículos utilitários e imposições governamentais.

Já as scooters como conhecemos hoje, modelos com fácil dirigibilidade, confortáveis e econômicos, só aparecem com vigor depois da Segunda Guerra Mundial. Em 1946, surge a primeira unidade, de autoria da Piaggio – empresa antes voltada para os aviões, que avistou uma nova oportunidade de negócios no pós-guerra, se tornando então a famosa marca Vespa.

Depois da Segunda Guerra, diversos soldados norte-americanos que voltavam às suas casas ficaram insatisfeitos com os modelos disponíveis no mercado. Perceberam que suas motos precisavam de mudanças que as grandes fabricantes, como Harley-Davidson e Indian, não estavam fornecendo. A partir disso, também se tornou comum a customização de motos, algo praticado até hoje, sobretudo nos Estados Unidos.

Com o passar das décadas, as motos foram ganhando amantes ao redor do globo, modelos diferentes e várias pistas de competição. Aqueles que tinham esses interesses em comum já faziam reuniões desde o final do século XIX. Carregando valores da união dos primeiros motoclubes, há quem diga que ser um motociclista nato vai além de saber conduzir, trata-se de um lifestyle, pautado por liberdade, irmandade, respeito e adrenalina. 

Competições 

Quanto às competições, a primeira prova de motociclismo que se tem registro ocorreu na Inglaterra, mais especificamente em Surrey, um subúrbio londrino. A prova foi chamada de Motorcycle Scrambles e fortaleceu o amor inglês (e mundial) pelas motos, que permanece até hoje.

No século XX, cada vez mais eventos como esse surgiram, alguns que permanecem até hoje. Como resultado, certas pessoas passaram a se dedicar unicamente a esse esporte, seja em cima de uma moto, ou nos bastidores, trabalhando inclusive no reparo das máquinas. Tudo isso contribuiu para a popularização do veículo, garantindo interesse público. 

Atualmente, a variedade de modalidades competitivas para motocicletas é enorme, havendo objetivos e nuances diferentes. Assim, as máquinas utilizadas também podem variar muito.

As corridas mais famosas do setor são: MotoGP – equivalente à Fórmula 1 dos carros; a Isle of Man TT, tradicional (desde 1907) e ousada competição sediada entre a Irlanda e a Grã-Bretanha, com velocidade em meio a curvas e imperfeições na estrada da ilha e a Superbike, competição mundial que usa modelos disponíveis no mercado, disputada desde 1988. 

Para os entusiastas de aventura, ainda tem mais: o Mundial de Motocross traz circuitos com muita terra, lombadas e irregularidades, com 18 provas por temporada. Finalizando os eventos mais conhecidos, há o North West 200, que acontece uma vez ao ano, em um trajeto que corta três cidades da Irlanda do Norte e tem duração de uma semana.

Cada especialidade exige um tipo de máquina, com determinada estrutura, peso, rodas, mas, em todas, os pilotos precisam estar muito bem preparados. O mesmo vale para fora das pistas – quem conduz uma moto em seu dia a dia também deve ter pleno domínio sobre ela.


INSTAGRAM
SAIBA MAIS SOBRE