Entenda por que pneus de moto são mais caros que os de carro

 Entenda por que pneus de moto são mais caros que os de carro

Pneus de moto podem custar até o dobro do que os convencionais desenvolvidos para carros

Os pneus são o único contato do veículo com o solo e, por isso, precisam estar sempre em boas condições para garantir a segurança do piloto ou motorista.

Porém, de forma geral, o custo de pneus para os donos de motos acabam sendo muito maiores do que o dos que pretendem trocar os pneus de seu carro, principalmente quando se tratam de motos médias e grandes.

Diversos motivos contribuem para esta alta de preço, como a engenharia e tecnologia utilizadas na fabricação dos pneus e também dos materiais utilizados na produção de ambos.

Assim, além da divergência nos preços, a composição, função e montagem de cada pneu também são diferentes.

Diferenças entre os pneus

Uma das principais causas da grande diferença de valores dos pneus de moto é a composição do pneu. Os pneus de carro são feitos de apenas um composto em toda sua estrutura, sendo geralmente uma mistura de borracha, petróleo, aço e poliéster. Já os pneus de moto são feitos de dois ou três compostos diferentes.

O desenho dos pneus também difere: os pneus de carro costumam ser mais quadrados e podem ser utilizados em qualquer uma das rodas do veículo.

Já os pneus de moto têm desenho mais arredondado para que, em casos de curvas, o pneu ainda mantenha sua aderência.

Além disso, eles são designados especificamente para qual roda irão. Os pneus dianteiros servem para a posição direcional e os traseiros, para tração.

O motivo do alto custo

Por conta dos elementos citados acima, o alto custo dos pneus de moto são justificados pela mão de obra utilizada em sua produção. Por exigirem mais compostos e maior tecnologia, seu preço normalmente aumenta.

Comparados à durabilidade dos pneus de automóveis, os pneus de moto podem parecer mais caros ainda: enquanto os primeiros duram entre 30 a 40 mil quilômetros, os de pneu têm uma média de duração de 15 a 22 mil quilômetros.

Assim, os pneus de motos médias ou grandes têm menos volume e exigem uma maior mistura de componentes, exigindo maior custo de produção e quantidade de matéria-prima.

Quando falamos de preços, os pneus para motos com baixas cilindradas podem ser encontrados na média de 150 a 200 reais. Já os das motos maiores podem ser encontrados na média dos R$ 700.

Assim, com um custo fora de orçamento para diversos pilotos, alguns decidem realizar uma prática totalmente errada e utilizam pneus de carro em sua moto.

Por que não se pode usar pneu de carro em moto?

A prática é muito comum e, num modo geral, nem a estabilidade nem o comportamento da moto são alterados ao utilizar pneus de carro.

Porém, ao utilizá-los, a aderência da moto pode ser alterada por conta de seu formato mais quadrado. Além disso, a diferença na largura do pneu e do aro podem causar deformações e desgastes irregulares.

Os núcleos dos talões também podem ser rompidos por conta do excesso de pressão de inflação na hora da montagem e a vida útil dos pneus é consequentemente reduzida.

Além disso, os pneus de moto precisam ser trocados em pares – ao contrário dos de carro – pois ambos desgastam da mesma forma. 

Por isso, não somente a engenharia dos pneus de moto os deixam mais caros, mas também por serem pensados e desenvolvidos visando especialmente a dinâmica da motocicleta.

Compartilhe