READING

Empresas de motos que iniciaram em outras áreas

Empresas de motos que iniciaram em outras áreas

Alguns dos nomes mais populares do motociclismo tiveram seu início em outras áreas

Ducati, Yamaha, BMW. Esses nomes remetem, quase automaticamente, ao setor de transporte. Sim, são montadoras famosas de motocicletas. Mas você sabia que elas iniciaram em outras áreas? O destino do motociclismo poderia ter sido muito diferente, se não houvesse uma mudança no meio do caminho.

Conheça a origem dessas empresas e em quais setores elas começaram suas operações.

Ducati

Em 1926, a Ducati, primeira montadora da lista, iniciou suas atividades fabricando componentes para rádios. Em pouco tempo, a chamada Società Radio Brevetti Ducati ganhou grande destaque, com reconhecimento internacional. A partir de 1935, abriram filiais ao redor do globo, em Paris, Londres, Nova Iorque, Sydney e Caracas.

Todo esse sucesso seria atrapalhado por um grande acontecimento. Em decorrência da Segunda Guerra Mundial, a empresa teve sua maior fábrica, localizada em Bologna, na Itália, transformada em ruínas. Contornando esse obstáculo, os três irmãos que comandavam a corporação analisaram a oportunidade de novos projetos. 

Saindo totalmente da engenharia voltada para rádios, eles tiveram a ideia de instalar um motor à combustão numa bicicleta. Em 1946, então, apresentaram sua criação de sucesso: o motor Cucciolo, que poderia ser comprado e anexado em qualquer bicicleta. Seis anos depois, surge a primeira motocicleta da marca, a Cruiser 175 cc, com ignição elétrica e transmissão automática.

Em 1964, a Ducati entrou para a história do motociclismo, quando seu modelo Mach de 250cc foi reconhecido como o mais rápido, ultrapassando 150 km/h. Esse item influenciou diretamente o surgimento das Scramblers de 350 e 450 cc, as quais conquistaram o coração de muitos compradores. 

Atualmente, a montadora, que foi comprada pela Audi em 2012, está presente em mais de 90 países. Grandes nomes do motociclismo já integraram a Ducati, sendo exemplos o engenheiro Fabio Taglioni e os pilotos Paul Smart, Bruno Spaggiari e Mike Hailwood. É uma marca muito procurada, sobretudo, por seus modelos de alta cilindrada. 

Yamaha

A segunda montadora da lista, a Yamaha, é conhecida por sua atuação para além das motos. A empresa japonesa foi criada no final do século XIX e, na época, fabricava apenas instrumentos musicais, mais especificamente pianos e órgãos. Essa intenção inicial está até hoje refletida na marca, que continuou com um logo formado por três garfos, os quais são, na verdade, diapasões – objetos usados para afinação.

O começo no setor das motocicletas veio, assim como a Ducati, depois da Segunda Guerra Mundial. O presidente da corporação, Genichi Kawakami, reutilizou as máquinas produzidas durante a guerra e o conhecimento em tecnologias metalúrgicas para a fabricação de motocicletas. A primeira moto da Yamaha foi a YA-1, lançada em 1954, conhecida como “Aka-tombo” ou “libélula vermelha”. Devido ao seu sucesso, foi fundada em 1955 a Yamaha Motor Co., Ltda.

No cenário atual, a Yamaha ainda trabalha com instrumentos musicais, incluindo piano, flauta, violão, guitarra, violino e mais, porém suas atividades vão além. A empresa também é uma fabricante de semicondutores, audiovisual, produtos informáticos, esportivos, móveis, robôs industriais e outros. 

Quanto às motocicletas, a Yamaha se consolidou no mercado internacional, com modelos populares, seguros e destaque nas categorias city e off-road. 

BMW

Encerramos a lista com a BMW, montadora de motos e carros, que inicialmente se dedicava à produção de motores para aviões. A corporação foi inicialmente fundada por Karl Rapp em 1913, passando por transformações em 1916 e 1922, quando recebeu o nome Bayerische Motoren Werke (BMW).

O foco de suas operações mudou depois da Primeira Guerra, quando foi proibida de produzir os motores de aeronaves. Assim, migrou para a fabricação de motocicletas e, mais tarde, de automóveis. Sua primeira moto, a BMW R 32 foi fabricada em 1923. Já o primeiro automóvel veio em 1928, um Dixi rebatizado BMW 3/15.

Uma curiosidade consiste no logo da marca. Por muitos anos, circulou o mito de que o logotipo da BMW é uma associação às hélices de um avião. Na realidade, trata-se das cores de seu estado de origem, a Baviera. No entanto, o boato foi perpetuado pelo fato de na Alemanha ser ilegal associar o símbolo de uma empresa ao Estado.

Atualmente, o grupo BMW incorpora quatro marcas: Mini, Rolls-Royce e BMW, referentes a automóveis, e BMW Motorrad, subdivisão específica de motocicletas. Ao todo, são mais de 30 fábricas pelo mundo, mas a produção de motos continua concentrada, desde 1969, na unidade de Berlin-Spandau.


RELATED POST

INSTAGRAM
SAIBA MAIS SOBRE