READING

A preparação de motos e pilotos para corridas

A preparação de motos e pilotos para corridas

Saiba o que é necessário para um veículo e seu condutor estarem prontos para as pistas

Atualmente, as motos estão cada vez mais repletas de tecnologia. Nessa indústria, aperfeiçoamentos chegam a todo instante, para inúmeros itens. De fato, isso contribui para que o interesse em novos modelos seja contínuo e, claro, um proprietário esteja de olho nas novidades, cogitando o que pode ser adicionado à sua motocicleta. 

Mas, e aí, você sabe como isso fica quando o assunto é competição de moto? Como uma moto é preparada? E o piloto? Continue a leitura para conferir a resposta para essas perguntas.  

As motos

Há quem diga que o que mais importa em uma corrida é o veículo. Independentemente desse argumento, é nítido que a motocicleta é um dos elementos fundamentais para bons resultados em uma corrida. Pensando nisso, as motos usadas com esse objetivo são cada vez mais distantes daquelas que vemos nas ruas, ou, melhor, cada vez mais modificadas.

Hoje em dia, é raro que um piloto não queira fazer nenhuma alteração no seu objeto de competição, até porque é inegável que certas mudanças aumentam os resultados provenientes da máquina. A partir disso, também é nítido que as escolhas são muito individuais.

De qualquer forma, um bom piloto deve saber qual o tipo de máquina que mais se adequa às suas necessidades e objetivos. Claro que também não deve deixar a moto tão potente a ponto que ele não seja capaz de guiá-la, caso ainda não tenha muita experiência. É questão de equilíbrio.

Por isso, é imprescindível haver uma conversa franca com os mecânicos que lideram o projeto. Sempre é possível fazer edições aos poucos e, com calma, chegar ao conjunto ideal. Também é fundamental que o próprio piloto tenha conhecimentos técnicos, ou, ao menos, alguma noção básica, para saber como cada alteração afeta o desempenho da moto e o que é necessário para alcançar seu veículo dos sonhos.

Antes do produto final, inúmeros testes precisam ser feitos, dentro e fora da pista.  Neles, são analisados os critérios mais específicos possíveis, sem deixar de ver os básicos como velocidade, estabilidade e desempenho. Assim, a moto ideal pode demorar meses – ou anos – para ficar pronta. Mas, é preciso paciência mesmo. É aquele velho ditado de que “a pressa é inimiga da perfeição”. 

A preparação dos pilotos

Em relação aos pilotos, se não estamos falando de campeonatos de alta categoria, com equipes e patrocinadores, as exigências não são tão altas. Qualquer um pode se aventurar no ramo do motociclismo, mas é sempre bom lembrar o básico: manter uma boa alimentação e evitar o sedentarismo são dicas valiosas. Obviamente, isso vale para dentro e fora da pista, já que é uma questão mínima de saúde. 

A hidratação também é um item imprescindível para praticar qualquer esporte, sobretudo para quem pretende realmente correr. Em dias de corrida, é importante estar bem descansado, para minimizar o risco de desconfortos imprevistos. Assim, é necessário que um competidor esteja relaxado, concentrado e se sentindo confiante – em aspectos mentais e físicos.

Juntamente com o equipamento e a técnica, o bom condicionamento físico é um dos fatores que propicia o sucesso nas pistas. Naturalmente, a preparação varia de acordo com a categoria em foco. Para pilotos profissionais das maiores competições do mundo, como MotoGP e Superbike, o acompanhamento por especialistas acontece diariamente. 

A análise ocorre desde o que o piloto come, à quantidade de horas dormidas e o desempenho nas pistas durante treinos e provas. Sem dúvidas, nos bastidores há um time longo de diferentes trabalhadores técnicos, cada um focado em sua especialidade.

Um fator a ser ressaltado é que nos últimos anos, cada vez mais, essa preparação se estende também ao âmbito mental. A saúde psíquica é, com razão, uma preocupação para a população global, e isso não fica de fora da rotina do atleta. É essencial conferir, para além dos resultados físicos, como está aquele competidor em relação a seus pensamentos e emoções.

Afinal, atingir as mais altas velocidades em cima de uma moto, de 250 km/h a 300 km/h não é algo comum para o ser humano e exige um comprometimento. Mas, inclusive para quem está em níveis mais simples, importante não esquecer do básico:

– Alimentação

– Hidratação

– Concentração

– Exercícios físicos básicos

– Alongamentos

Além desses fatores, há um outro essencial: comunicar a família. Isso mesmo. Por questões de segurança, é preciso comunicar a familiares e amigos quando se inicia a prática de um esporte. No motociclismo, não é raro que alguém vá parar no hospital e peça aos médicos para não informar a mãe ou esposa, porque essa não está ciente do esporte. 

No entanto, andar sobre duas rodas não precisa ser visto como um tabu ou algo muito arriscado e perigoso. Basta assegurar que todos os devidos cuidados serão tomados e, assim, aproveitar seu hobby sem peso na consciência – e, claro, segurança.


INSTAGRAM
SAIBA MAIS SOBRE