Confira os 5 mitos mais comuns sobre motocicletas

 Confira os 5 mitos mais comuns sobre motocicletas

Sem ter conhecimento, muitos espalham desinformação. Entenda os principais boatos sobre as motocicletas

  1. Andar de moto é perigoso 

Por possuírem duas rodas, um dos boatos que rondam esse mito é a ideia de que motos foram feitas para cair. Porém, o equilíbrio acontece justamente quando o veículo está em movimento. Nesse processo, a energia cinética é gerada pelo efeito giroscópico das rodas, a mesma lógica que impede um pião de cair enquanto está rodando.

Outro boato divulgado é a falta de proteção que as motocicletas oferecem. É evidente que equipamentos de proteção são importantes e evitam ferimentos mais graves. No entanto, a atitude do piloto, e dos condutores ao redor, no trânsito é o fator determinante. O que faz um veículo se tornar perigoso é o desrespeito a leis e regras.   

  1. Usar o freio dianteiro provoca quedas 

IMAGEM 2- QUEDA DE MOTO

Muitos imaginam que o correto é utilizar apenas os freios traseiros,  sob a alegação que a moto pode capotar caso seja feito o contrário. Mas, a ação pode fazer com que a roda traseira saia do percurso e cause um acidente. 

Em relação a curvas, o pensamento incorreto é o contrário, imaginam que o uso do freio traseiro pode fazer o veículo derrapar. O mito surgiu com as bicicletas, que possuem pneus menores e mais finos. As rodas das motocicletas são feitas para terem maior superfície de contato e se adaptarem as curvas.

A regra geral é o uso conjunto dos freios, nunca usando-os separadamente. Em uma freada emergencial, o correto é utilizar 70% do freio dianteiro e 30% do traseiro. Caso seja uma curva, a proporção deve ser inversa. 

  1. Quanto mais óleo melhor!

IMAGEM 3 – ÓLEO

Analogamente ao corpo, o óleo representaria o sangue. Porém, não são em todas as situações que o componente é a solução. 

Quando o sistema dos motores ainda eram, em sua maioria, carburados, alguns achavam que usar óleo dois tempos na gasolina ajudava a lubrificar o carburador. No entanto, isso pode gerar acúmulo de carvão no pistão e prejuízos à motocicleta.

Outro pensamento errôneo é querer lubrificar a corrente da moto com óleo usado. A peça, de fato, precisa de lubrificação, mas com o produto ideal, como graxa branca ou óleo fino. 

  1. Troca de pneus 

IMAGEM 4 – PNEU

Muitos motociclistas acreditam que devem trocar o dianteiro apenas a cada duas trocas do traseiro. O comportamento é perigoso, visto que o pneu dianteiro ficará muito mais gasto, o que limita sua atuação. O correto é trocar os dois pneus conforme a especificação do fabricante.

Quando chove, alguns pilotos imaginam que precisam esvaziar o pneu para aumentar a aderência ao solo. Contudo, o que ocorre é exatamente o oposto, o pneu perde a aderência. Isso porque o tamanho dos sulcos diminui, e, consequentemente, a capacidade de escoamento da água também.   

  1. Capacetes com validade 

IMAGEM 5 – CAPACETE

Para finalizar a lista, outro mito popular. Os capacetes são essenciais para a segurança e proteção dos motociclistas. Mantê-los em bom estado é imprescindível para um bom funcionamento. Apesar disso, os capacetes não possuem prazo de validade. Porém, devem ser trocados se apresentarem deformidades ou rachaduras, o que compromete a eficiência.

Compartilhe