READING

Apesar de esforços, motos elétricas não emplacam n...

Apesar de esforços, motos elétricas não emplacam no Brasil

Alternativa sustentável é aposta, mas anda a passos tímidos no Brasil, mesmo com investimento considerável de Startups

Motos elétricas ainda enfrentam dificuldades para emplacar no Brasil

Os carros elétricos são uma realidade, mas o que muitos não sabem é que também existem motos movidas por esse tipo de energia. O principal mercado se concentra no Sudeste Asiático. 

Segundo estudo divulgado pela empresa estadunidense Pike Research, existiam 17 milhões de motos e scooters elétricas no mundo em 2011. Já de acordo com relatório da ACEM ( Associação Europeia de Fabricantes de Motocicletas), foram emplacadas 2.500 motos elétricas em 2019 até o mês de abril, e 3.391 em 2020 no mesmo período, o que representa aumento de 35,6%. Entre 2018 e 2019, a associação registrou aumento de 97% no mercado elétrico de duas rodas na Europa.

Algumas fabricantes grandes como Honda, BMW e Yamaha já tem os seus modelos circulando no Japão, Estados Unidos e Europa. No Brasil, entretanto, assim como acontece com os carros elétricos, não existem muitas opções. Mas a Volts Motors é um exemplo de empresa brasileira que está investindo neste mercado e pretende mudar isso. A Volts é uma startup que começou com a produção de uma scooter elétrica chamada EV1 no ano passado e, desde o momento em que a fabricação foi iniciada, 1.300 unidades foram vendidas.

O mercado de motos elétricas ainda está se desenvolvendo em alguns estados. Com o objetivo de estimular este setor sustentável da economia, foram concedidas isenções no IPVA de veículos elétricos. No Paraná, por exemplo, a isenção é de 100%, enquanto em São Paulo é de 50%.

Além de economizar no “abastecimento”, outro fator que é tido como grande vantagem das motos elétricas é o fato de a manutenção ser muito mais simples e acessível. Nas motos elétricas, não há óleo de motor nem corrente de motor para serem lubrificados, sendo necessário trocar apenas os pneus e as pastilhas de freio..

Apesar dos incentivos, este tipo de moto ainda é um artigo de luxo e, muitas vezes, não muito viável. A Voltz EV01, por exemplo, custa R$ 9.450, mas sua velocidade máxima é de 60 km/h e sua autonomia é de 60 km. A Energie Super Soco TC, que seria a mais top do Brasil, custa R$ 21.900 e chega a 75 km/h com autonomia de 80 km, podendo dobrar com uma bateria extra. Fora isso, outro problema das motos elétricas é que as baterias de lítio, que geralmente são usadas neste tipo de veículo, duram em torno de 120.000 km, e custam cerca de R$ 4.500.

Um dos principais modelos de motos elétricas disponíveis no Brasil é a Voltz EV01, veículo elétrico mais barato que se encontra no mercado, custando R$ 9.450. Tem motor Bosch de 1.800 watts e chega a 60 km/h. Precisa de quatro horas para recarga completa, que fornece 60 quilômetros de autonomia.

Voltz EV01 é um expoente dentre os modelos de motos elétricas

INSTAGRAM
SAIBA MAIS SOBRE